Blog

12/06/2016 - Comemoração Psicologia

heart-583895_1920

Amor e o medo de estar solteiro

Muitas pessoas buscam no amor a resolução para seus próprios problemas. Assim, acabam entrando em relações que não são benéficas para si mesmo (a), trazendo infelicidade e insegurança. Mas é neste ponto que é necessário observar: você está com alguém por amor ou por medo de ficar sozinho (a)?

Estar solteiro (a), em nossa sociedade, parece muitas vezes um status ruim. Mas ele não é. O amor mais importante para qualquer pessoa com certeza é o amor-próprio. Isso porque cada indivíduo tem um papel importante em sua vida, no qual precisa se conhecer e realizar o autodesenvolvimento. Infelizmente, poucas são as pessoas que têm inteligência emocional para se considerarem suficientes, dependendo da aprovação e amor dos demais para sentir-se valorizado.

 

O tempo sozinho é necessário para crescer

Estar sozinho não significa algo ruim, já que é o momento certo para se conhecer. Essa é a nossa principal jornada, a fim de viver com felicidade e leveza. Assim, não se pode apressar o momento de “encontrar o parceiro ideal”, pois cada coisa tem seu tempo.

Descobrir-se é importante para que cada pessoa possa ser um ser humano melhor, entender sua situação na vida, metas, planos, quais são seus valores e emoções. E olhar neste espelho da alma é conflituoso, pois requer aceitar medos e defeitos. Mas é sobre eles que se constrói uma pessoa melhor.

Ao se conhecer, estará pronto para estar com alguém

Quando uma pessoa conhece a si mesma, ela é capaz de diferenciar quando ama e quando simplesmente sente necessidade de estar com alguém. E isso dificilmente acontecerá, pois, a necessidade de estar com alguém é fruto da dependência emocional, sendo que um indivíduo resolvido consigo mesmo evitará relações assim.

As pessoas precisam estar preparadas para receber o amor. Pois vão saber distinguir um relacionamento saudável de um ruim. Não é incomum ver casais que aparentemente estão felizes nas redes sociais, em frente aos amigos, porém, a realidade é outra: já não sabem porque estão juntos, pelo medo de estarem sós ou comodismo.

Uma vez que o ser humano precisa estar constantemente evoluindo, o amor pode sim fazer parte disso, a partir do momento em que cada um ajuda o outro nesta constante mudança, vivendo cada um a própria vida, mas sempre na torcida pelo outro. Ao se ajudarem, o amor se transforma em algo maior, mais forte e duradouro.

Logo, perca o medo de estar só. Quando conhecer a si mesmo, saberá que na verdade está em boa companhia. E quando aprender a amar seu verdadeiro eu, estará pronto para dividir esse amor com outra pessoa.

Post Anterior
TOC – Causas, tipos e tratamento
Post Anterior
Neurocientista da Harvard: Meditação muda o seu cérebro

Compartilhe:

Comente:

Cadastre-se e receba todas as novidades do Blog Danielle Krizanovski